Bispo e Conselho Presbiteral emitem pronunciamento em apoio ao Arcebispo de Aparecida

Na manhã desta terça-feira, 19, o bispo diocesano de São João del-Rei, Dom José Eudes Campos do Nascimento, juntamente com o Conselho Presbiteral, emitiram um pronunciamento em apoio ao Arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, assim como, também, ao Papa Francisco e a Presidência da CNBB, após o discurso do deputado Frederico D’Avila (PSL) na quinta-feira, dia 14.

CONFIRA O DOCUMENTO NA ÍNTEGRA:

São João del-Rei, 19 de outubro de 2021

“Prega a palavra, insiste oportuna e inoportunamente”. (2 Tm 4, 2)

Ex.mo e Rev.mo Sr. Dom Orlando Brandes, DD. Arcebispo de Aparecida

Amados irmãos e irmãs!

Mediante o episódio de um ataque covarde feito por um deputado da Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP) contra o Santo Padre, o Papa Francisco, contra V. Ex.a Rev.ma, e contra a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), nossa Diocese de São João del-Rei tem a dizer:

1 – Repudiamos duramente estes ataques contra aqueles que são os pilares da comunhão de nossa Igreja Católica, a saber: o Papa, Sucessor do apóstolo Pedro, e os bispos, sucessores dos apóstolos. Lembramos a afirmação de Santo Inácio de Antioquia: “onde está o bispo, aí está a Igreja”.

2- Manifestamos nossa solidariedade incondicional ao Santo Padre, à V. Ex.a Rev.ma e à Presidência da CNBB.

3- Conclamamos a todo o povo católico e às pessoas de boa vontade a não se deixarem influenciar por esse espírito de agressividade que tem tomado conta das redes sociais e do comportamento de um número considerável de cristãos católicos.

Por fim, deixamos um trecho da Carta Encíclica do Papa Francisco, Fratelli Tutti – Todos irmãos – para nossa meditação: “Deve-se reconhecer que os fanatismos, que induzem a destruir os outros, são protagonizados também por pessoas religiosas, sem excluir os cristãos, que podem ‘fazer parte de redes de violência verbal através da internet e vários fóruns ou espaços de intercâmbio digital. Mesmo nas mídias católicas, é possível ultrapassar os limites, tolerando-se a difamação e a calúnia e parecendo excluir qualquer ética e respeito pela fama alheia’. Agindo assim, qual contribuição se dá para a fraternidade que o Pai comum nos propõe?” (n. 46)

Dom José Eudes Campos do Nascimento

Conselho presbiteral

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui