Diocese divulga orientações litúrgicas para o Setenário das Dores e Semana Santa

Na manhã desta sexta-feira, 27, Dom José Eudes Campos do Nascimento, juntamento com o Vigário Geral, padre Geraldo Magela, disponibilizaram para a Diocese de São João del-Rei as orientações litúrgicas para o Setenário das Dores e Semana Santa neste período de pandemia, quando a programação das paróquias sofre alterações diante da prevenção contra o Coronavírus, Covid-19. Veja:

ORIENTAÇÕES LITÚRGICAS PARA O SETENÁRIO DAS DORES E SEMANA SANTA

“Por isso, celebremos a festa, não com fermento velho,
nem com o fermento do maligno e da corrupção, mas com os pães
sem fermento da sinceridade e da verdade” (1 Cor 5, 8)

A todos os Sacerdotes, Diáconos, Religiosos (as) e Leigos (as) da Diocese de São João del-Rei, Paz e Bênção em Nosso Senhor Jesus Cristo!

Considerando as orientações emanadas recentemente da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, as sugestões apresentadas pela Comissão Episcopal de Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e mediante o compromisso cristão de promovermos a vida como Dom de Deus e Compromisso de todos e ainda observando a prática do isolamento social na prevenção ao contágio do Covid-19 (Coronavírus) apresentamos as seguintes orientações.

1)- CELEBRAÇÃO DA PALAVRA EM FAMÍLIA
Conclamamos as famílias, Igreja Doméstica, a se reunirem em torno da Palavra de Deus, especialmente nesse tempo em que não é possível a participação presencial nas celebrações litúrgicas. Assim, recomendamos o uso dos subsídios “Celebrar em Família o Dia do Senhor”, elaborados pela Comissão de Liturgia da CNBB e que podem, gratuitamente, ser baixados no site da CNBB (www.cnbb.org.br).

2)- CONFISSÕES
A respeito da prática da confissão sacramental (Cân. 989) em vista do cumprimento do preceito pascal (Cân. 920) recordamos a palavra do Papa Francisco:
“Eu sei que muitos de vocês se confessam para a Páscoa a fim de se reconciliar com Deus. Mas muitos me dirão hoje: ‘Mas, padre, onde posso encontrar um sacerdote, um confessor? Não se pode sair de casa! E eu quero fazer as pazes com o Senhor, quero que Ele me abrace, que o meu Pai me abrace. O que posso fazer se não encontro um sacerdote?’ Você faz o que diz o Catecismo (…) É muito claro: se você não encontra um sacerdote para se confessar, fale com Deus, ele é seu Pai. Diga-lhe a verdade: ‘Senhor, eu fiz isso e aquilo. Perdoa-me’. Peça-lhe perdão de todo o coração, com o Ato de Contrição e prometa-lhe: ‘Depois, eu vou me confessar, mas perdoa-me agora’. E logo você retornará à graça de Deus.” (Homilia em Santa Marta, 20/3/2020).

3)- SETENÁRIO DAS DORES DE NOSSA SENHORA
Recomenda-se celebrar com simplicidade e beleza na Igreja Catedral e nas Matrizes, sem a participação do povo. Que os atos sejam transmitidos pelas mídias sociais.
Sugerimos a cada família fixar uma cruz na porta da sua casa durante todo o Setenário e Semana Santa como sinal de nossa fé e comunhão eclesial.

4)- SEMANA SANTA

Domingo de Ramos
Os presbíteros deverão celebrar a Missa, sem povo, e poderão proceder a Bênção dos Ramos antes do ato penitencial. Que se faça a transmissão pelas redes sociais. No momento da Bênção dos Ramos cada fiel, em sua casa, segure seu ramo para ser abençoado.

Segunda, Terça e Quarta-feira Santas
Através das redes sociais, além das Missas poderá ser transmitido um momento de oração e reflexão sobre os Passos do Senhor, as Dores de Nossa Senhora, o Encontro de Jesus com sua Mãe ou mesmo a Via-Sacra.

Quinta-feira Santa
Missa do Crisma
Sendo esta Missa expressão da unidade da Igreja Particular, fica adiada. Oportunamente faremos a comunicação da nova data.

Missa da Ceia do Senhor
Seja celebrada a Missa da Ceia do Senhor na Igreja Catedral e Matrizes, sem a participação dos fiéis, servindo-se das transmissões pelas redes sociais.
O rito do lava-pés seja omitido.
No término da Missa da Ceia do Senhor omite-se a procissão. O Santíssimo Sacramento seja conservado no sacrário e se faça um tempo de vigília.
Na Quinta-Feira Santa, concede-se, a título excepcional, a todos os sacerdotes a faculdade de celebrar neste dia, em lugar adequado, a Missa sem o povo.
Os sacerdotes que não tenham a possibilidade de celebrar a Missa, em vez dela rezarão as Vésperas.

Sexta-Feira Santa
Na Igreja Catedral e Matrizes seja celebrada a Ação Litúrgica, a Paixão do Senhor.
No momento da Adoração da Cruz, o tempo seja suficiente para um momento de adoração, sem o beijo da cruz, talvez o tempo de um canto como os Lamentos do Senhor ou outro.
Na Oração Universal, conforme decreto da Congregação para o Culto Divino e redação da Comissão de Liturgia da CNBB deve-se acrescentar a seguinte oração a ser inserida antes da décima, tornando-se assim a penúltima, pois a última rezará “por todos os que sofrem provações”:

X -PELOS QUE PADECEM A PANDEMIA DO COVID-19
“Oremos ao Deus da vida, salvação do seu povo,
para que sejam consolados os que sofrem com a doença e a morte,
provocadas pela pandemia do novo coronavírus;
fortalecidos os que heroicamente têm cuidado dos enfermos;
e inspirados os que se
dedicam à pesquisa de uma vacina eficaz”.

(Reza-se em silêncio. Depois o sacerdote diz ou canta):

Ó Deus, nosso refúgio nas dificuldades, força na fraqueza e consolo nas lágrimas,
compadecei-vos do vosso povo que padece sob a pandemia,
para que encontre finalmente alívio na vossa misericórdia.
Por Cristo, nosso Senhor.
R. Amém

À hora da Procissão do Enterro pode-se rezar a Via-Sacra e fazer uma breve meditação.

Sábado Santo
Vigília Pascal
Seja celebrada apenas na Igreja Catedral e nas Matrizes, num tempo mais curto, do seguinte modo:
– acende-se o círio pascal junto ao presbitério, apresenta-se a Luz de Cristo e, omitindo-se a procissão, segue-se o Precônio Pascal (Exsultet). Poderão os fiéis acender em casa a sua vela;
– segue-se a Liturgia da Palavra, com a proclamação de apenas duas leituras do Antigo Testamento, não omitindo a Leitura do livro do Êxodo (14,15-15,1), da Epístola e do Evangelho;
– para a Liturgia Batismal apenas se benze a água, sem a ladainha e se renovam as promessas batismais. Em casa, a família, pode apresentar a água para ser abençoada e aspergida sobre os membros da família;
– segue-se a Liturgia Eucarística.
Aqueles obrigados pelo Direito que não podem de modo nenhum unir-se à Vigília Pascal celebrada na igreja, rezem o Ofício de Leituras indicado para o Domingo de Páscoa.

Domingo da Ressurreição
O sacerdote celebre a Santa Missa sem a participação do povo.
Não se promova procissões com o Santíssimo Sacramento pela cidade, nem mesmo motorizadas.
Haja na Igreja a Bênção do Santíssimo Sacramento, nunca ao final da Missa, transmitida pelas redes sociais.
Sugerimos aos fiéis que celebrem juntos a refeição neste dia e coloquem um sinal de alegria à sua porta, como flores, ou toalhas à janela.

5)- NÚMERO DE FIÉIS NAS CELEBRAÇÕES
Recomendamos, mais uma vez, a obediência às autoridades sanitárias, reduzindo ao estritamente necessário o número de fiéis nas celebrações transmitidas pelas mídias.

Invocamos, fervorosamente, Nossa Senhora do Pilar, Padroeira da Diocese de São João del-Rei, implorando sua proteção e sua bênção maternal, e do Glorioso Mártir São Sebastião, protetor contra a peste, a fome e a guerra.

Dado e passado na Cúria Diocesana, aos 27 dias do mês de Março de 2020.

Dom José Eudes Campos do Nascimento
Bispo Diocesano

Pe. Geraldo Magela da Silva
Vigário Geral

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui